Meu poema O Caminhar

O caminhar

Com passos lentos e rastejantes
Sem sonhos e doçuras
 De roupas gastas e com paúra
O homem voltava junto à penumbra

Era noite e era dia
Nem o sal do suor o impedia
Ele subia e descia, todo santo dia
O povo achava graça
Tinham pena
Ou apenas riam

Pobre homem e o seu caminhar
Em dias de chuva e  dias de sol
O pobre homem nunca falhava
Estava sempre na sua caminhada

Um dia o pobre homem foi seguido
De tão atento não se deu conta
Da multidão que vinha em as suas costas
Ele só percebeu quando o dia já tinha indo embora
E para casa voltaria usando a noite como o seu guia

Pobre caminhador
O povo não entendeu a sua dor
Nem mesmo quando explicou o que tanto esperava chegar  
naquele velho porto
Era apenas o seu grande Amor.
Que um dia prometeu voltar sem hora e data, mas que voltaria
 pelas ondas do mar.
E para aquele pobre homem caminhador
Então restaria apenas caminha e esperar...caminhar e esperar...

Até o fim de espera ou da sua agonia terminar.

***Essa poesia foi exposta na 5° edição de poesia na cidade de Poá-SP. Com incentivo para a escrita e a leitura*** 


         c Roberta Del Carlo c 

Comentários

Postagens mais visitadas