sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Lya Luft




Não sou a areia da praia
Onde se desenha um par de asas
Ou grades diante de uma janela
Não sou apenas a pedra que
Rola nos mares do mundo,
Em cada praia renascendo outra
Sou a orelha encostada na concha da vida,
Sou a construção e o desmoronamento,
Servo e senhor
Eu sou mistério...







(...) O meu destino e eu nem sempre estamos afinados, nem sempre nos levamos a sério(...)

Textos da Escritora Lya Luft
Imagens tiradas da internet 



c Roberta Del Carlo c

Um comentário:

Lixo

Uma vez, eu vi uma formosa rosa ser jogada na lata do lixo e fiquei com dó. Logo pensei no cuidado que aquela rosa teve para “viver” e qu...